sexta-feira, maio 04, 2007

Agora sim, o MST!!!

Aviso prévio: eu sou a favor do Metro Sul do Tejo.
Sempre defendi meios de transporte colectivo de passageiros que sejam alternativa ao "entupimento" das cidades pelos automóveis. Sempre defendi que, se esses meios de transporte colectivo forem menos poluentes que os vulgares autocarros, melhor ainda.
Portanto, não contem comigo para dizer mal deste "eléctrico", ou "comboio", ou lá o que é.
Mas não contem comigo também para defender a Câmara Municipal de Almada. Não tenho procuração para tal e julgo que a Câmara se defende muito bem a ela própria.

Não dei, nem vou dar, para esses peditórios.

E penso que, tal como os do "contra" podem dizer o que muito bem lhes apetece, também eu tenho o direito de dar aqui a minha opinião.
Entendido?

Sobre as obras do MST: o meu aplauso e algumas dúvidas

Que o metropolitano de superfície implicaria muitas alterações na rede viária da cidade, julgo que era ponto assente desde há muito tempo. Aliás, já em Maio de 2002, logo após a adjudicação de obra (há cinco anos, note-se), o próprio gabinete coordenador do projecto alertava para as futuras restrições do trânsito automóvel na malha urbana da cidade. Foi dito nessa altura que o MST «configura uma clara opção a favor do transporte colectivo», que iria «alterar toda a fisionomia de Almada», tendo em vista «disciplinar» a utilização do «transporte individual» (declarações de Manuel Moura, responsável pelo gabinete coordenador do projecto que venceu o concurso público para a implementação do do MST, à revista País Económico, em Maio de 2002).

Concordo. E entendo também as dificuldades e os incómodos (conjunturais, digamos) que uma obra desta envergadura, inevitavelmente, provoca. E que, neste caso, estão muito bem justificadas. (Nunca vi ninguém fazer uma omeleta sem ter de partir primeiro os ovos...)

No entanto:


- terá sido boa ideia avançar com a obra em Cacilhas ainda antes de os prometidos parques de estacionamento para residentes estarem concluídos? (Mas também porque é que os residentes não utilizam plenamente os que já existem nas imediações? Essa também não entendi...) E na zona da Praça do MFA (sim, eu digo mesmo MFA, nome que a praça já tem há praí uns trinta anos...), aí como vai ser?


- se bem me lembro, foi prometido que o avanço das obras seria feito por sectores, salvo erro de 100 metros e que, em caso algum, se começaria a intervir num sector sem que o outro estivesse concluído. Fui eu que percebi mal, ou as coisas não estão a ser feitas dessa forma?

- então e estas árvores, não eram para transplantar para o Parque da Paz? Era mesmo necessário isto? (Se bem que, há um par de anos, a Câmara deitou abaixo, pelo mesmo processo, muitos plátanos e choupos que, supostamente, causavam alergias e, nessa altura não me lembro de ter visto reclamações. Será que as alergias são causadas mesmo por essas árvores? Ou por partículas mais pequenas que esvoaçam por aí e a gente nem sequer as vê?)

Quanto às obras, enfim, fico-me por aqui. Pois é, assim de repente que me lembre, não tenho mesmo mais nenhuma reclamação a fazer! Mas quem quiser, pode agarrar nestas fotos e fazer com elas o que bem lhes apetecer (vale tudo menos não citar o nome do fotógrafo).

Ah, e sobre a articulação autocarros/comboio/metro (note-se que são empresas dominadas pelo mesmo grupo, e toda a gente parece estar a esquecer-se desse "pequeno pormenor"), tenho mais algumas dúvidas, que terão de ficar para mais tarde.

A menos que alguém me queira explicar já quais serão as alterações de serviços que os TST pretendem fazer. Vão restringir umas carreiras (as que fiquem em zonas servidas pelo MST) mas, em compensação, reforçar outras e criar ainda outras? Era tão bom, não era?

E sobre o terminal de Cacilhas, também não se fala?

Ai, ai, se eu tivesse mais tempo (e um computador, e máquina fotográfica) ainda era muito bem capaz de fazer umas investigaçõezitas assim tipo jornalísticas, estão a ver? Mas não tenho.
Uns nasceram com o rabo virado para a lua, outros nem por isso. É a vida...

(Note-se que peço explicações e esclarecimentos, e não blá blá blá e veneno - existem por aí muitos outros blogues mais adequados para debitar coisas dessas.)


António Vitorino (texto)
Rui Tavares (fotografia)


Post scriptum: enquanto elaborava este texto, alguém me avisou que, num sítio da internet onde pelos vistos não se faz mais nada senão dizer mal da CMA, alguém identificou o blog Debaixo do Bulcão como um dos que recebem financiamento do Bin Laden. Em relação a isso tenho a dizer o seguinte.

1 - O blog financiado pelo Bin Laden é este e não o Debaixo do Bulcão. Esse é subsidiado, sim, mas pelo Bloco de Esquerda - como, aliás, é evidente.

2 - Confesso que fiquei furioso com tamanha falha na segurança. É que essas cenas do financiamento até são verdade, mas não eram para se dizer. Se apanho o gajo que se chibou, nem sei o que lhe faço!...

3 - A propósito, se a ideia era intimidar-me deve ter resultado porque (olhem para mim) estou a tremer que nem varas verdes. Mas também pode ser da ressaca de ontem à noite. É que, estúpido como sou, em vez de gastar o dinheiro do tio Osama num computador para poder trabalhar, fui derretê-lo todo em álcool e drogas. (Também, comigo outra coisa não seria de esperar, não é?)

4 - Tenham juízo ou, como dizem os americanos, arranjem uma vida!

A.V.

6 comentários:

mio disse...

"Post scriptum: enquanto elaborava este texto, alguém me avisou que, num sítio da internet onde pelos vistos não se faz mais nada senão dizer mal da CMA, alguém identificou o blog Debaixo do Bulcão como um dos que recebem financiamento do Bin Laden. Em relação a isso tenho a dizer o seguinte."

Uma Grande Gargalhada (já que não gostas do LOL) :D

Debaixo do Bulcão disse...

Mas olha que é verdade! Alguém escreveu mesmo isso!

Vitorino

mio disse...

Quanto às obras, claro que também me chateiam mas tal como dizes 'não se fazem omeletes sem ovos'. Quando foi das obras do comboio da Fertagus de certeza que muitas gente também se sentiu afectada, no entanto, acho (eu) que o comboio era necessário. A mim, que o uso todos os dias, dá muito jeito. :p
As obras do túnel do Marquês também me fizeram arrancar cabelos mas agora estou muito contente com o túnel. Esta semana passei lá quase todos os dias e afirmo: poupo 15 minutos ou mais no trânsito, e só o facto de não ter que me enfiar no meio da rotunda do marquês para atravessar aquilo me faz ter vontade de beijar os senhores que construiram aquilo. 8)

Leo disse...

Vitorino iniciei o meu blogue que tinha há 2 anos.Por Um Mundo Mehlor Kuanto Baste. AINDA ESTÁ UM POUCO COXO! Mas devagar se chega ao longe
saudações
Leo

Luis Eme disse...

Tal como tu Vitorino, também não tenho nada contra o MST, até acho que pode ser o futuro catalizador para outra cidade, mais moderna e mais saudavel...

Claro que tenho muitas dúvidas, como tu. Dúvidas que têm aumentado pela falta de esclarecimento de situações importantes e pertinentes...

Parece que o meu "Casario" também recebe dinheiro do senhor Laden, sem eu saber, claro... anda alguém a aproveitar-se do nosso suor e das nossas palavras...

A vida é assim, a caravana vai continuar a passar e os cães a ladrar... só se escapa se tivermos um "osso" no bolso, para os distrair...

Phwo disse...

Para o Rui T.: Então? Que (an)danças fotográficas são estas agora?
Hummmmmmm. A CDC ainda está "biba" (pois se nós existimos, ehehhehe).

O "bulcão" que não aqueça. É mesmo brincadeira com o Rui que é, sem dúvida, o melhor não de Almada,não de Angola, mas do mundo. Disse e fui!