segunda-feira, setembro 15, 2008

Jornalista procura trabalho e/ou emprego


Caros amigos:


Terminei a minha colaboração com o jornal Notícias da Zona e, consequentemente, encontro-me desempregado e disponível para trabalhar em qualquer área da comunicação social (pois é essa a área profissional em que exerço a minha actividade desde o início da década de '90).


Tenho vasta experiência de trabalho na imprensa regional (rádio entre 1987 e 1995; jornais e revistas desde 1995), e em outras actividades relacionadas com comunicação social, animação cultural (e afins...) como poderão confirmar consultando a barra lateral deste blogue (mas leiam mesmo: não vejam só os bonecos, ok?)

Aliás, foi essa vasta experiência (e, pelos vistos, alguma competência, até) que fez com que o director do mencionado jornal me convidasse para assumir uma eventual futura edição desse quinzenário noconcelho de Almada.

Mas as coisas nem sempre correm como a gente deseja, não é?...

(Na foto: sim, sou eu, na redacção do Notícias da Zona, em Abril deste ano, fotografado pela jornalista Catarina Cabral.)

5 comentários:

Miguel disse...

Eu sou o Miguel Nuno e aprovo esta mensagem.

Debaixo do Bulcão disse...

Ah ah ah! Muito engraçadinho, ó Wiguel!

(Mas obrigado pela solidariedade, a sério!)

A.V.

Debaixo do Bulcão disse...

Em Março deste ano, o escritor Artur Vaz (conhecemo-nos em 1995, no jornal Sul Expresso) falou sobre este blogue ao director do Notícias da Zona, Tozé Ribeiro (conhecemo-nos também em 1995: era ele paginador do Sul Expresso e eu um jornalista a dar os primeiros passos na imprensa escrita, no mesmo jornal).

Depois de alguns contactos (já não nos falávamos há alguns anos...), o Tozé convidou-me para fazer parte de um projecto de expansão do Notícias da Zona (NZ). A ideia era implementar esse título no concelho de Almada, com uma edição "autónoma" da actual (que abrange essencialmente os concelhos de Sesimbra, Seixal e Setúbal). Numa primeira fase, começaríamos a desenvolver informação de Almada no contexto actual do quinzenário para, em seguida, criar os alicerces para o lançamento do tal título autónomo.

Assim se foram fazendo as coisas, com maior ou menor eficácia, com maior ou menor dificuldade - mas sem perder de vista o objectivo.

Entretanto eu (o jornalista que estava responsável por trazer o NZ para Almada) fui expulso - por uma pessoa da minha família!!! - da casa (familiar) onde residia...

Assim, vi-me sem casa, sem meios de subsistência (porque o trabalho no NZ era, nesta fase, ainda voluntário - uma sementeira que iria dar frutos mais tarde...) e, obviamente, com a minha capacidade de trabalho muito afectada.

Isto foi em Agosto passado. Mas já tinham acontecido coisas semelhantes em 2001, pouco antes de eu ter terminado a minha colaboração com o Sem Mais quando, estando eu a residir em Setúbal, vinha aos fins de semana a Almada (para trabalhar em peças do Jornal da Região) mas, entretanto, e por obra e graça da mesma (minha) família, vi-me forçado a dormir na rua - literalmente. (E não, não foi coincidência o facto de, logo a seguir, ter abandonado aquela empresa de comunicação social...).

Mas tudo isto é tão ridículo e tão absurdo (e tão grave!) que nem sei como o hei-de explicar... por isso deixo a explicação para mais tarde.

Esta "nota de rodapé" serve, por agora, apenas para que não venham dizer (como alguns já disseram, e - pior ainda - escreveram!...) que eu apresento «comportamentos desajustados, isolamento social, desadaptação às regras, que tem levado a despedimentos sucessivos» (sic)!!!

A falsidade de tais afirmações será demonstrada em tempo oportuno, e nos locais adequados.



António Vitorino

Debaixo do Bulcão disse...

A propósito: sim, estive na Festa do Avante em serviço, como jornalista, para o Notícias da Zona.

As fotos da Festa que aparecem na edição desta quinzena estão assinadas como NZ mas foram, de facto, feitas por mim.

A.V.

Paulo disse...

Caro amigo preciso de um jornalista para a zona do seixal se estiver interessado envie um mail com o seu contacto para paulocaleira@gmail.com fico assim a aguardar pelo seu contacto