quarta-feira, dezembro 19, 2007

Homenagem a um dos meus poetas preferidos (e uma das minhas maiores influências): Alexandre O'Neill


Lamúria do cego que antes o fosse

Quando era cego eu previa
(que freguesia!)
o que ia acontecer.
Era o que se dizia…

Mas agora, que bem vejo,
só agoiro do que vejo
e já ninguém me quer crer…

Porquê,
se todos o podem ver!

Alexandre O’Neill
(nascido em Lisboa, a 19 de Dezembro de 1924; falecido na mesma capital do mesmo império, a 21 de Agosto de 1986).
Mais poemas de O’Neill, no Debaixo do Bulcão:

2 comentários:

Marreta disse...

Bom gosto, caro Vitorino.
Também é dos meus preferidos, juntamente com o José Gomes Ferreira e o Torga.
Saudações do Marreta.

Luis Eme disse...

O O'Neill é especial...

A sua poesia tem uma beleza quase ácida...