terça-feira, abril 24, 2007

Portugal, Lisboa. Revolução de 25 de Abril de 1974

As coisas tal como elas foram, ou a revolução transmitida na televisão!

8 comentários:

Debaixo do Bulcão disse...

Como se costuma dizer, não se fazem omeletas sem partir os ovos.
O problema é que às vezes os ovos que se partem são poucos para a omeleta que se quer fazer.
E depois, ainda se tira a frigideira do lume antes de tempo.
(Reparem que isto é uma verdade universal: aplica-se a tudo na vida, Metro Sul do Tejo incluído.)

Livratemundo disse...

Salgueiro Maia: Isto é um golpe!
Marcelo Caetano: Está bem, mas eu não entrego o poder a um Capitão, só a um General...
Salgueiro Maia: Oh concerteza Excelência! Vou imediatamente buscar um General, e já agora, não quer que lhe traga um cravo, um cházinho e água de rosas para lhe lavar o rabinho?
Marcelo Caetano: Se não for muita maçada...

Anónimo disse...

E então?
Como é que se fazia melhor?
Já experimentaste o MRPP?
Francamente, não há pachorra!

Debaixo do Bulcão disse...

Como vou ter que sair e só volto depois de amanhã, não comento os comentários. No entanto:

1 - Comentáreios nóninos não, sff. Este fica, mas sem exemplo.

2 - Sugestões de leitura sobre o que os comunistas pensam do 25 de Abril, em blogues aqui perto:

Anónimo Século XXI:

anonimosecxxi.blogspot.com/2007/04/na-vspera-do-33-aniversrio-do-25-de.html

Combate:

combate.blogspot.com/2007/04/na-vspera-do-33-aniversrio-do-25-de.html

Site do PCP:

www.pcp.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=28071&Itemid=154


Haverá mais mas, como disse, não tenho por agora mais tempo para procurar e, aliás, estou de saída.

Ah, leiam também este, sobre o "recrudescimento do fascismo":

imperiobarbaro.blogspot.com/2007/03/o-recrudescimento-do-fascismo.html


António Vitorino

Debaixo do Bulcão disse...

Ainda cá voltei para vos aconselhar vivamente a leitura de uma série de artigos sobre o 25 de Abril, no blog

As Vinhas da Ira

asvinhasdaira.wordpress.com

E, repito, mas agora sem dislexia:

Comentários anónimos não, sff

António Vitorino

Livratemundo disse...

Não experimentei o MRPP nem vou experimentar. O que quero dizer é que se o povo não ocorre em massa para reivindicar e conseguir aquilo a que hoje chamamos as conquistas de Abril (e tantas delas já foram à viola) o 25 de Abril não teria passado de um golpe palaciano com poucas consequências práticas.

Wiguelnuno disse...

Nesta revolução alguém nos trocou as voltas. A quem servirá esta distracção de todos sabermos que o Rei vai nú? Aos alfaiates não tem dado jeito nenhum.

Luis Eme disse...

Boa ideia esta do filme, Vitorino. É a história no momento.