quarta-feira, abril 11, 2007


Ó MEUS AMIGOS!!!

Pensavam então que eu deixava passar assim sem dizer nada essa perniciosa lei para a liberalização do abor... abo... ou seja da ivêgê, hum?
Ora, como poderia eu assistir impavidamente, hum, a esse desencaminhar de jovens moçasje em idade fértil que, desconhecendo que as consequências serão sempre irreversíveisje, decidem levianamente cometer um abo... hã... um tão nefando acto, hum?
A meu ver,estando as moças tão desprotegidasje por esta nefasta lei, deve caber ao médico ajuizar sobre a sua, a sua delasje, capacidade de emitir consentimento informado.
E mais: afigura-se-me razoável que o progenitor masculino, hum, possa estar presente na consulta obrigatória e no acompanhamento psicológico e social durante o período de reflexão. Isto sem prejuízo de a decisão final pertencer exclusivamente à mulher, mas só porque a lei assim o determina, hã?
Importa sobretudo que a moça prestesje a cometer um acto tão imoral e violento, hum, seja devidamente informada, hum, nomeadamente mostrando-se-lhe a respectiva ecografia. E isto porque é necessária uma política de promoção de uma sexualidadeje responsável e de apoio à natalidade, hum, e não essas parvoeirasje, nitidamente endemoinhadas e promovidas peles comu.. comu... nasje je.
É que o referendo até foi um bom referendo. Mas, como não teve carácter vinculativo... ó meus amigosje, não havia necessidadeje!
Como sabeis, eu já há muito tempo defendo estes pontos de vista, familiares e cristãos, como a melhor forma de resolver os males deste mundo tão desvairado. Só me falta agora que me venham acusar de estar imitando os pontos de vista de outros provedores, valhamedeus.
Se me acusarem, mesmo que fosse verdade, que não o é, seria um atentado ao meu bom nome e à minha honra. E, como tal, teria de ser derimido nas instânciasje competentes, hum?
E como se sabe, neste nosso querido Portugal, as instâncias competentesje dão mais valor à honra do que à verdade... como aliás lhes compete fazer, ih ih ih.
Portanto, tende cuidadinho. E, se tiverdes mesmo tentados a liberalizar, lembrai-vos das criancinhasje e metei a mão na consciência, hum?
Portanto, vamos lá legislar, hum, mas com juizinho!

6 comentários:

Debaixo do Bulcão disse...

Então, amigos, não comentam esta tão controversa opinião do Engenheiro Diácono Remédios? Esse silêncio nem parece vosso... Quem cala, consente!
Ou estão com medo que ele morda?
Ele não morde...
E o Senhor PR, que eu saiba, também não...

(Espero não ter que explicar-vos a piada subjacente ao post. Isso é que seria, de facto, muito mau.)

António Vitorino

Alexandre Lote disse...

Caro amigo António Vitorino, eu votei com muito orgulho SIM no referendo que ocorreu recente sobre a despenalização até às 10 semanas da interrupção voluntaria da gravidez!

Fi-lo de forma consciente e na convicção de que a nova legislação assentaria nas melhores praticas europeias, pelo esper o que tal se verifique e que portanto algumas das recomendações do Presidente da República sejam no mínimo ponderadas.

Cumprimentos, Alexandre Lote

www.opinarparavancar.blogspot.com

Debaixo do Bulcão disse...

Quando o PR faz recomendações aos poderes executivo e legislativo, está a fazer o que lhe compete, enquanto PR.
Mas, tendo em conta o "tom" das ditas recomendações (não quero discutir agora o conteúdo, com o qual, aliás, dicordo) está também a ser igual a si próprio, enquanto Cavaco Silva. E isso fez-me lembrar o personagem do Herman Enciclopédia, vá-se lá saber porquê!

O sentido de humor ainda não foi proibido em Portugal, penso eu.

E tenho bons motivos para supor que o Alexandre Lote pensa o mesmo. Caso contrário não teria linkado este blog no Opinar Para Avançar.

A crítica humorística é (ou pode ser) também uma forma de exercer a cidadania democrática.

Portanto, saudações democráticas!

António Vitorino

Luis Eme disse...

Apesar das recomendações, os "nãos" não perdoam ao Cavaco, por não ter "invalidado" o referendo... pelo que...

As recomedações da sua eminência, até podem ser uma vitória, Vitorino...

Alexandre Lote disse...

parece que nao percebeu o meu comentario. eu apenas comentei que tinha votado sim e porque...

nao fiz nenum juizo de valor quanto ao artigo humoristico apresentado pelo senhor, que até acho ter tido bastante propósito.

Cumprimentos, Alexandre Lote

Debaixo do Bulcão disse...

Tem razão. Eu excedi-me um pouco no comentário ao seu comentário.
Às vezes acontece... Não é por mal.

Cumprimentos,

António Vitorino