terça-feira, abril 17, 2007

O que tenho andado a ler:


Uma antologia de poetas catalães, editada em Portugal no ano de 1974. Poetas que, nesse tempo eram "novíssimos" - hoje, muitos são consagrados, outros já nem são vivos... - e enfrentavam uma feroz ditadura. (Não foi Franco quem disse que quando lhe falavam de Cultura tinha vontade de sacar da pistola mas, pelo que se conhece do personagem, podia muito bem ter sido.)
Em Portugal, tinhamos já saído do pesadelo da ditadura salazarenta. Os espanhóis (e estes catalães, obviamente), teriam ainda de esperar mais um ano para saber «qual a cor da liberdade» (como dizia Jorge de Sena, num famoso poema).

Deixo-vos um excerto prefácio desta obra, escrito por Manuel de Seabra, onde o organizador da antologia explica o critério aplicado:

«Um poema vale por si, e pronto.
Segundo este critério (...) ainda que um poeta escreva só vinte poemas e seja empregado bancário ou cozinheiro o resto da vida, o que há para julgar são esses 20 poemas e não uma "carreira" tantas vezes feita sobre compadrios.
Por outro lado, uma antologia deste tipo tem ainda um valor sociológico que reputo de importante.
Na presente, pretendo apresentar uma panorâmica o mais possível eficaz do que se está fazendo hoje poeticamente na Catalunha. E, a aceitarmos a definição de Pound de que os poetas são antenas da raça ou do seu tempo (sociológico), através dessa antologia poderá certamente o leitor apreender o que se pensa, o que se vive presentemente na Catalunha, independentemente do valor artístico da poesia seleccionada.»

E eu estou tão de acordo com isto, que quase o adopto como um manifesto para o Debaixo do Bulcão!

(Aproveito para agradecer ao Henrique Mota, que me emprestou o livro, e ao Rui Tavares, que digitalizou a capa.)

Mais poemas de autores catalães em: perso.wanadoo.es/lipmic/Pluricat/por/index.htm

3 comentários:

eduardo graça disse...

Muito bem copiado... eu é que agradeço,

um abraço

Luis Eme disse...

Também estou de acordo...

Miguel disse...

eu também já andei a ler esse livro e é mesmo muito bom.