domingo, março 18, 2007

Detesto admiti-lo, mas o gajo dos Moonspell tem razão quando diz



em entrevista à P'Almada, revista da Divisão da Juventude da Câmara Municipal de Almada:

«Almada sempre foi aquele grande pulmão criativo das coisas mais alternativas. Se querias saber o que se passava, ias a Almada.»
(Depois, faz uma referência aos Capela das Almas, que considera a melhor banda gótica de sempre em Portugal.
E prossegue:)
«Não sei como é hoje em dia, parece-me que, infelizmente, não tem aquela efervescência que tinha naquele tempo em que se ia ao Ponto de Encontro e estavam os Noctivagus a ensaiar cá em baixo, depois estava em cima não sei quem a fazer isto e depois estava outro a fazer... era uma coisa muito engraçada!
Na altura vivia na Brandoa e não havia nada disso, havia Moonspell a lutar com a Junta de Freguesia e a Câmara para não nos despejarem de onde estávamos e nós tinhamos inveja de Almada porque por muito modestas que fossem as condições pelo menos não havia aquela supermacia do género "isto não nos interessa para nada!".
Sempre houve, modesto ou elevado, uma espécie de investimento e não estou só a falar de dinheiro, de dependência das Câmara, porque pessoalmente nunca estou a contar com nada vindo que não seja só do nosso trabalho, do nosso esforço»
E, para finalizar as considerações sobre Almada:
«Basta ir no barco que vai logo pessoal de cabelo comprido, gótico, é assim uma cena muito engraçada nesse aspecto! A primeira maqueta de Moonspell foi gravada em Almada!
Nós por exemplo nunca tocámos no Ponto de Encontro, foi uma lacuna na nossa carreira, mas vi lá grandes concertos, a Feira do Metal e montes de coisas que existiam ali e em mais lado nenhum

(Fernando Ribeiro, vocalista dos Moonspell, em declarações à revista P'Almada, Março 2007.Os sublinhados a negro são meus.)

Notas de rodapé: O "Ponto de Encontro" referido na entrevista são as instalações da Casa Municipal da Juventude em Cacilhas. Instalações que, na verdade, já tiveram melhores dias no que diz respeito à actividade cultural lá desenvolvida. Para dar um exemplo (que me diz respeito directamente): foi nesse espaço que nasceu, e se consolidou, o projecto Debaixo do Bulcão. A publicação apareceu pela primeira vez em 1996, numa Feira do Fanzine, um evento (e, já agora, - porque não dizê-lo? - um invento) que a Câmara Municipal organizava naquele espaço. Acresce que o Ponto de Encontro também era o que o nome sugere: um ponto de encontro, com uma sala-bar onde germinaram muitas das ideias que fizeram do associativismo juvenil almadense motivo de "inveja" para muita gente. Hoje já não o é. E tenho pena. Mas se calhar os jovens desta geração também não precisam de espaços desses. Se calhar a internet basta-lhes. Será isso?

António Vitorino

(Só mais uma coisinha: "detesto admitir" que o gajo tem razão, mas só porque não sou nada fã dos Moonspell. Já da verdade, sou adepto, sou sim senhor...)

(Afinal há ainda outra coisinha: a melhor banda gótica de sempre em Portugal foram os Trauma, uns gajos que faziam as primeiras partes dos Capela das Almas, não sei se estão a ver...)

8 comentários:

Luis Eme disse...

Ao ler tudo isto, fiquei com a sensação que passei ao lado de qualquer coisa...

A história do movimento associativo juvenil ser motivo de inveja também é curiosa, tal como o «onde estão?»

chego ao fim a pensar que sou mesmo ignorante, não fazia ideia da existência dos "Trauma" ou dos "Capela das Almas".

Debaixo do Bulcão disse...

Essa do "ignorante" deve ser ironia tua. Aquelas bandas eram, tal como muitas outras, (e de muitos outros géneros, não só as "góticas") conhecidas apenas por uma "elite".
Mas foi nesse meio (nesse humus, apatece-me dizê-lo) que apareceram outras bandas que singraram, como é o caso evidente dos Da Weasel.
O movimento associativo juvenil não era só isso? Pois não. Mas isso era uma parte muito significativa do movimento associativo juvenil.

António Vitorino

mio disse...

Por acaso, se bem me lembro, eram os 'Capelas' quem fazia a primeira parte dos Trauma e não o inverso. Tal como faziam também (ou fizeram durante um ano inteiro) as primeiras partes dos Moonspell.
Também tenho saudades do Ponto, não faço ideia como está agora mas acho que posso imaginar.
Quanto à feira do fanzine acho que é preciso dizer a verdade, não era um evento da CMA nem da CMJuventude mas sim um 'invento' do Pedro Morgado, tanto que assim que ele de lá saiu a feira acabou.

Debaixo do Bulcão disse...

Credo, mio, que mau feitio!!!
Tem cuidado com isso, ou ainda chegas a vereadora!

Mas é verdade, devemos fazer justiça ao Pedro Morgado: era ele quem organizava as Feiras do Fanzine. Acontece é que as fazia em Almada, naquela época e naquele espaço, e talvez isso não tenha acontecido por mero acaso.
Deixa-me dizer-te também que, depois dele ter saído, a CMA ainda fez pelo menos mais uma, que eu saiba.

E quanto aos Capelas e aos Trauma, és capaz de ter razão. Esta minha pobre cabecinha começa a ter dificuldade em se lembrar de coisas que aconteceram há já tanto, tanto tempo....

Aliás, eu estava convencido que os Trauma eram os Crime and The City Solution e os Capela das Almas eram os Bad Seeds (o Gordo seria então o Nick Cave, como é óbvio).

Mas afinal era ao contrário.

mio disse...

Pá, não era mau-feitio. :\

Em relação ao pedido das fotos eu não tenho andado com muito tempo livre* (por isso é que o terreolas também não tem tido muitos topónimos) mas sempre que precisares de uma foto, pede ;).


*e a partir deste ano ainda terei menos

Debaixo do Bulcão disse...

O "mau feitio" era a brincar.

Quanto às fotos, não te assustes. És uma das pessoas a quem eu fiz a proposta, mas não há stress com isso. Penso que era interessante fazer esses intercâmbios...

Quando puder mando-te uns textos e tu vês se tens fotos a condizer. Está bem assim?

Gloomy Sunday disse...

...hahaha...é engraçado encontrar estas coisas assim por acaso...

Pois é...Capela e Trauma...

Existe um MySpace de Capela, mas não um de Trauma...talvez um dia por brincadeira...

catarina faustino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.