sexta-feira, dezembro 12, 2008

O mural do Centro Cultural de Almada: não se pode preservá-lo?


O antigo edifício do Centro Cultural de Almada (em Almada Velha, bairro de São Paulo) foi demolido para abrir espaço a um novo e muito necessário parque de estacionamento e a um novo e talvez não menos necessário estabelecimento de ensino (que, no caso, vai substituir, com vantagens, a escola que anteriormente ali existia).

Eu, que estive no Centro Cultural de Almada (CCA) durante a primeira metade da década de oitenta, até nem tenho nada contra essa demolição - em primeiro lugar, porque o edifício do CCA não era, efectivamente, nada de especial; e depois porque entendo muito bem a necessidade de fazer ali novos lugares de estacionamento (e, já agora, uma nova escola).

Mas parece-me, também, que é sempre possível "melhorar a vida sem destruir o património". E o património, neste caso, é a pintura mural que ainda lá permanece.

É património (ou tem importância histórica, o que vem a ser o mesmo) porque será talvez a primeira coisa do género que se fez em Almada (e das primeiras coisas do género que se fizeram em Portugal). No princípio dos anos 80 - muito antes de qualquer manifestação artística tipo grafiti!
E é, também, uma obra de arte: olhem para essa pintura e digam-me se o é ou não! Uma obra de arte que (parece-me, e julgo que não estou enganado) podia muito bem ser preservada, restaurada (não deve ser muito difícil...) e enquadrada no limite exterior do futuro complexo. Afinal, trata-se de um muro que delimita o perímetro da zona a ser intervencionada, junto a uma zona residencial. Suponho, portanto, que não há necessidade de o demolir.






Para que se perceba melhor o que digo, aqui fica, também, a maquete publicada pela autarquia no boletim municipal.


O mural do CCA está, mais ou menos, no topo do campo de jogos (que ali aparece como uma parede branca). Ficava bem, não? O desporto de mãos dadas com a memória cultural da cidade...

2 comentários:

euzinho disse...

eu também pertenci ao movimento de juventude que integrou o cca... nos finais de 70. não me lembro de ti mas gostava de saber se tens algumas fotos do grupo musica de hoje. nunca me deram nada e eu gostava de ter algumas dessas fotos em que até devo estar... ;) seria pedir muito? obrigado pela atenção.
qto ao mural.... bom os tempos são outros e os interesses também..... foi só um mural dos muitos que se pintaram.... existiu um antes desse acho q o primeiro de autoria da cedula da juventude do laranjeiro feito antes desse .... participaei nele. desse nao me recordava já existir.

Debaixo do Bulcão disse...

olá!

eu não pertenci a esse movimento
de juventude. entrei para o cca, como colaborador, em 1981 (vindo da secundária do Pragal, onde fui aluno da Maria Santos) e, embora tenha feito lá muito trabalho, mantive uma actividade muito discreta. saí em 1987, quando era já membro da direcção. se, por acaso, nos chegámos a conhecer, é natural que não te lembres de mim.

sobre o mural - o que eu aqui escrevo é que se trata de um dos primeiros (se não mesmo o primeiro?) que se fizeram em Almada sem ser de propaganda politico-partidária e, nesse sentido, é um antecessor do grafiti (e, até por isso mesmo, devia ser salvaguardado como património cultural). se assim for, não me parece que se trate apenas de "mais um". admito que possa estar enganado. e, se estiver, agradeço até que me corrijas.

em relação a fotos, tenho alguma coisa comigo (mas mesmo pouco), incluindo duas ou três do Grupo Música D'hoje. se estás interessado, envia-me um mail - vitorinices@hotmail.com - e conversamos sobre isso.

AV