quarta-feira, agosto 19, 2009

O Farol de Cacilhas é vermelho. Quem diz isso? A Marinha Portuguesa! (E eles devem perceber alguma coisa de faróis, não?...)


Artigo publicado no site da Marinha, a propósito da recolocação do Farol de Cacilhas no Largo Alfredo Dinis:


"Este dispositivo de assinalamento marítimo iniciou o seu período de funcionamento em 15 de Janeiro de 1886 e consistia numa óptica de 5ª ordem com um candeeiro de duas torcidas, numa lanterna cilíndrica com cúpula esférica, sobre uma torre cilíndrica vermelha de 12 metros de altura e 1,7 de diâmetro, emitindo uma luz fixa branca num sector de 342º, com um alcance nominal de 11,5 milhas. Em 18 de Maio de 1978, por motivos associados à construção do novo Terminal de Passageiros de Cacilhas e à pouca aplicabilidade como Ajuda à Navegação, o Farol de Cacilhas foi extinto.

O ex-Farol de Cacilhas, no período entre finais de 1983 e o ano de 2004, substituiu o Farol da Serreta (parcialmente destruído por um forte sismo) e, a pedido da autarquia de Almada que considerava o Farol de Cacilhas como parte da história e do património cultural daquela edilidade, foi em 4 de Outubro de 2007, celebrado um protocolo com a Marinha conducente à execução pela Direcção de Faróis da recuperação da estrutura metálica do farol, sua montagem em local a definir e instalação de um sistema de iluminação de baixa intensidade, passando a constituir uma nova “conhecença”, embora sem funções de Ajuda à Navegação.

Após um período de aproximadamente 6 meses, durante o qual se procedeu à recuperação da estrutura metálica do farol nas instalações da Direcção de Faróis, foi em Junho de 2009 implantado no cais fluvial de Cacilhas, regressando finalmente ao local onde nascera e satisfazendo desta forma um antigo anseio da população local."



PS: Esta é, obviamente, a minha contribuição para a polémica mais imbecil da actual "silly season" almadense. Sobre a cor que - de acordo com a Marinha... - era a original daquele monumento, acrescentei um sublinhado, da minha inteira responsabilidade. E a vermelho, naturalmente... (A foto foi copiada, também, do referido site)

11 comentários:

Luis Eme disse...

não percebo o que a polémica tem de imbecil, Vitorino.

nem toda a gente gosta de vermelho.

Debaixo do Bulcão disse...

"nem toda a gente gosta de vermelho", naturalmente - mas fazer disso um argumento, sem procurar as razões para que ele seja dessa cor é mesmo imbecil, ó Luís. desculpa lá a sinceridade...

eu acho as cores do Palácio da Pena (Sintra) uma combinação berrante e de mau gosto. mas não vou dizer que ele não devia estar pintado dessa forma. devia, e deve, pois são as cores originais do monumento. fazer polémica com isso seria imbecil (mas, há anos, quando a pintura foi restaurada, houve quem fizesse tal polémica...)

e, no caso do Farol de Cacilhas, até era tão fácil encontrar uma fonte insupeita... (e é insuspeita, a menos que a Marinha Portuguesa também esteja "comprada" pela "czarina"!...)

um abraço,

Vitorino

Debaixo do Bulcão disse...

já agora, eu também estranhei a "mudança de cor", pois também vi o farol pintado de verde, nos anos 70. mas em vez de andar a mandar bocas parvas e/ou desonestas, como fizeram outros blogueiros (e atenção que esta não é para o Luis Eme!) tentei informar-me, como fazem os jornalistas - para depois informar quem, eventualmente, precisasse de ser informado. capisce?

AV

Luis Eme disse...

claro Vitorino, mas as justificações dadas pela mudança de cor não fazem qualquer sentido, porque o Farol é apenas um monumento decorativo, pelo que poderia ter qualquer cor...

e a que mais se justificava era a verde, pois foi a cor que todos os cacilhenses vivos conhecem (era verde pelo menos desde os anos vinte...)

e se a Câmara é comunista, a associação ao vermelho acaba por ser normal...

Debaixo do Bulcão disse...

então é assim:

se a ideia é fazer piadas sobre o farol vermelho, tudo bem, mas quem as faz que fique pela piada.

se a ideia é fazer mesmo essa associação ao "vermelho" da CMA, é desonesta (porque bastava procurar nas fontes certas para saber que a CMA não teve nada a ver com a "mudança de cor")

é desonesta e, meu ver, um autêntico "tiro no pé". só cai nessa quem quer.

eu não comentei antes esta polémica (que continuo a considerar estúpida) porque estava, precisamente a tentar informar-me.

falei primeiro - em conversa informal - com um elemento da associação O Farol. este disse-me que o farol estava pintado daquela cor por imposição de normas interncionais. (não vou reproduzir aqui a explicação que ele me deu, pois era longa e detalhada - embora eventualmente não muito rigorosa)

falei depois com um vereador da CMA, de quem sou amigo há cerca de 25 anos e que, também numa conversa informal, me garantiu que a CMA "desembrulhou" o farol tal como lhe tinha sido entregue: vermelho.

enviei seguidamente um mail ao Henrique Mota, da associação o Farol, no qual perguntava porquê aquela cor e, além disso, se o farol vai ficar apenas como "figura decorativa" ou se vai haver algum tipo de animação turística e/ou cultural(visitas guiadas, por exemplo). o Henrique Mota respondeu-me que preferia não se pronuncir por não dispor de informação suficiente sobre o assunto, e acrescentou que iria colocar essas questões às autoridades competentes.

tentando esclarecer de vez as dúvidas, procurei no site da Marinha e encontrei isto, que me parece relmente esclarecedor e vindo de fonte insuspeita.

não faz sentido restituir a cor original ao farol? mas porque não?

e, já agora, porque raio é que os contestatários não protestam junto de quem lhe devolveu essa cor, em vez de acusarem a CMA?

isso para mim é que não faz muito sentido. (ou melhor até faz, mas demonstra a tal falta de honestidade a que já me referi)

saudações democráticas, Luis. e fica à vontade para continuar este diálogo, se assim o entenderes.

AV

Luis Eme disse...

como eu não sou nenhum inocente, não acredito na história do "embrulho", Vitorino.

a Marinha determina a cor do farol sem dar cavaco à Autarquia? boa!

o que eu discordo é que as pessoas nos atirem com a legislação para cima, quando aquilo é apenas um monumento, e ainda tenham a lata de falar de tradição...

não faço parte dos contestatários, mas como cidadão gostava que as coisas fossem mais transpareentes, para não darem azo a todo o tipo de interpretações, como foi o caso.

sempre ouvi dizer: «quem não quer ser lobo não lhe veste a pele.»

e já gostei mais de viver na "cidade vermelha"...

Debaixo do Bulcão disse...

"desembrulhar" foi, como te disse, uma expressão informal numa conversa informal na qual estavamos a falar de outros assuntos. suponho que a CMA sabia que o farol estava a ser pintdo daquela cor, tal como outras entidades saberiam.

eu, por exemplo, propus ao jornal onde trabalhava fazer uma reportagem nos Açores onde o farol estava a ser "reconstruido". era uma ideia jornalistica óbvia. não consegui fazê-lo (mas não trabalho para nenhum dos grandes grupos de comunicação social). havia quem o pudesse fazer (incluindo muita gente da "oposição") e não o fizeram. era um trabalho jornalístico óbvio. porque não o fizeram? (também não sou assim tão ingénuo, Luis)

quem tem falado de tradição não é a CMA (nem eu, já agora) mas alguns blogueiros anónimos (que fingem não ter nada a ver com o PS, nem com quaquer partido da oposição aqui em Almada - já agora).

por acaso até não me parecia mal ver o farol verde tal como o conheci. mas (repito) não vejo nada de mal por ser vermelho.

suponho que os responsáveis da CMA terão pensado o mesmo.

porque haveriam de mandar pintar o farol de vermelho? para ganhar votos? isso é que não faz nenhum sentido.

(mas contestar a cor do farol para ganhar votos, por acso até faz sentido - e há quem o faça - a coberto do anonimato e fingindo não ter nada a ver com o PS... mas isso é outro assunto.)

até já!

Vitorino

zoltrix disse...

Olha que giro! Bem, fiz investigação sobre o nosso Farol ( para Mestrado) e de facto o farol era vermelho no início por determinação internacional.
Foi pintado de verde escuro baço, já nos anos 50 por deixar de ter o valor marítimo que tinha tido até então. Foi embalado pela marinha e enviado para a Calheta, Açores, sem que esta desse cavaco à CMA....
Esteve lá pintado de branco! Depois esteve...noutra ilha que não S.Jorge onde voltou a estar pintado de vermelho e assim chegou e bem. digo eu pois é a cor original e fica bem onde está com essa cor .
já agora, não é nem nunca foi um farol mas uma luz secundária de aviso de 2ª categoria!!! Servia para os barcos poderem entrar no tejo ( ajudados por outras duas luzes do mesmo tipo na margem norte.
Que giro esta discussão!!!! ah ah

Debaixo do Bulcão disse...

obrigado pelo comentário e por ajudar a "fazer luz" sobre o assunto, zoltrix.

Pedro Costa disse...

Os faróis, quando dentro de estuários de rios não são pintados na cor que apetece às autarquias (excepto neste caso), a regra manda que os faróis que estejam na margem esquerda dos rios sejam de cor verde (a cor do estibordo, lado direito dos navios) e na margem direita sejam vermelhos (a cor do bombordo, lado esquerdo dos navios), isto serve para identificar o canal navegável de entrada dos rios, o mesmo acontece com as bóias que marcam os respectivos canais. Um navio que suba ou entre no rio deve dar o seu estibordo (verde) às marcações da mesma cor e o seu bombordo (vermelho), navegando entre ambos, a sair ou a descer o rio acontece o contrário. Portanto as marcações nos faróis são de utilidade e obedecem a regras estabelecidas, se repararem na cor dos faróis na Marginal são de cor vermelha, já a torre do Bugio é verde...agora a CMA inventou uma regra nova, o Estibordo em Almada é vermelho...

Debaixo do Bulcão disse...

"Agora a CMA inventou e tal...". Enfim, há gente mesmo casmurra, que contiunua a insistir em argumentos mesmo contra todas as evidências.

Deixei-me do facebook para evitar isso. Não esperava vir encontrar de novo aqui. :D